Mitos Sobre a Infertilidade

0
148
[Total: 1    Média: 5/5]
Durantes anos as pessoas acreditavam que apenas as mulheres eram responsáveis pela infertilidade, mas hoje sabemos que ela afeta ambos, homens e mulheres, por isso é importante examinar o casal para obter um diagnóstico adequado.

Várias crenças populares foram criando diversos mitos sobre a infertilidade que até hoje estão presentes e são reproduzidos na sociedade, por isso, veja agora alguns Mitos Sobre a Infertilidade.

Conheça 10 Mitos Sobre a Infertilidade e suas verdades:

  1. Mito: A Nutrição não afeta a fertilidade

Estudos internacionais revelaram que se a mulher estiver com cerca de 10 quilos a mais, irá aumentar em 10% o risco de infertilidade.

De acordo a um estudo realizado no Centro Médico Acadêmico de Amsterdam, uma mulher com um índice de massa corporal (que é calculado dividindo o seu peso em quilogramas com a sua estatura em metros ao quadrado) de 35 tem uma probabilidade 26 por cento menor de engravidar naturalmente do que uma mulher com um índice de massa corporal normal, ou seja, entre 20 e 25.

  1. Mito: Uma mulher de 40 anos ainda é jovem e não tem porque ter problemas para engravidar

Ainda que é certo que uma mulher de 40 anos é jovem, sua idade reprodutiva é considerada avançada. Isso ocorre porque, diferentemente do homem que produz esperma durante toda a sua vida, a mulher nasce com cerca de 1 milhão de óvulos em seus ovários e não gera novos óvulos durante sua vida.

A partir dos 35 anos de idade, a reserva ovárica da mulher começa a diminuir, e uma vez que chegou aos 40, os óvulos de má qualidade costumam superar em números os óvulos mais saudáveis, por isso a probabilidade de engravidar é reduzida.

A taxa de gravidez natural para as mulheres com menos de 30 anos de idade é de 20 a 30 por centro mensal, no entanto, para as de 40 ano de idade, a probabilidade de engravidar diminui 5 por centro, e o risco de abortos espontâneos e alterações genéticas como a Síndrome de Down aumenta.

Nos homens não há uma idade específica para que a fertilidade diminua, porém, os homens com mais de 40 anos de idade podem ter uma maior incidência de alterações espermáticas.

  1. Mito: A infertilidade é um problema apenas da mulher

Durante séculos acreditaram que a mulher era a única responsável pela infertilidade, mas hoje sabemos que ela afeta igualmente tanto o homem como a mulher, por isso, se um casal não está conseguindo ter filhos, ambos devem ser examinados para obter um diagnóstico adequado.

Cerca de um terço dos casos de infertilidade se deve a fatores masculinos, e outro um terço ocorre devido a fatores femininos. Outras causas da infertilidade deve-se a problemas do casal e em apenas 10% dos casos se fala de infertilidade inexplicável.

A infertilidade masculina pode estar relacionada a um grande número de causas, porém, a maioria dos casos ocorre devido a problemas de concentração, mobilidade e morfologia dos espermatozoides, e isso pode ser diagnosticado através de um simples espermograma ou análise do sêmen.

Esse vídeo é muito importante e recomendado para você , assista até o final:

  1. Mito: A maioria das pessoas engravidam muito facilmente

Com frequência pensamos que ter filhos será a coisa mais fácil e natural do mundo, porém, dado que a gravidez é o resultado de um processo reprodutivo complexo, a realidade nem sempre é assim.

No México por exemplo, um em cada seis casais tem problemas de infertilidade, ou seja, ao redor de 15 por cento da população reprodutiva.

  1. Mito: Ter relações sexuais com o quadril levantado aumenta a probabilidade de engravidar

As posições sexuais não têm nenhum efeito sobre a fertilidade. Se a pessoa tem problemas para engravidar, transar com o quadril levantado ou de cabeça para baixo não altera em nada as chances de engravidar.

  1. Mito: As pessoas que já tiveram filhos podem não ser mais férteis 

De acordo com as estáticas, 11 por cento dos casais que já tiveram um filho enfrentam dificuldades para conceber novamente, e por acreditarem que são férteis demoram para procurar um tratamento para gravidez.

Quando um casal que já teve um ou mais filhos tem problemas para ter outro depois de um ano sem usar métodos anticonceptivos, pode ser que sofram de infertilidade secundária.

  1. Mito: A infertilidade é psicológica. Basta a pessoa relaxar que ela irá engravidar

A infertilidade é um problema de saúde, médico, e consequentemente, apenas relaxar não irá solucionar o problema. O estresse entre outras emoções são resultados da infertilidade e não a sua causa.

  1. Mito: Xarope para tosse melhora a fertilidade

Por muito tempo, um xarope para tosse foi usado tanto por médicos como por pacientes para melhorar a qualidade do muco cervical e deixá-lo mais receptivo para os espermatozoides. Mas hoje sabemos que o uso deste medicamento não influencia na qualidade do muco cervical  nem aumenta a probabilidade de gravidez.

  1. Mito: A frequência das relações sexuais influenciam na fertilidade do casal 

Alguns casais acreditam que o sexo frequente aumenta suas probabilidades de engravidar, ou o contrário, que a concentração de espermatozoides será menor se o homem ejacular frequentemente. Ambos os casos se trata de um mito.

Quando o casal quer engravidar, é recomendado a relação sexual nos dias próximos a ovulação, ou seja, próximo ao 14 dia do período menstrual, que é quando isso ocorre.

  1. Mito: A endometriose impede a gravidez

Por muito tempo a endometriose realmente impediu as mulheres de engravidar, sendo sim uma das causas da infertilidade, porém, hoje já existem tratamentos tanto hormonais como cirúrgicos destinados a mulheres com endometriose que fazem com que elas engravidem com toda segurança e eficiência.

Esses foram alguns mitos sobre a infertilidade, se você sofre com ela, não deixe de procurar um médico para fazer o tratamento correto e não saia sem ver esse artigo antes como mais dicas para você.


loading...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here